UFRB aprova retorno das atividades acadêmicas presenciais em 2022

O Conselho Acadêmico (CONAC) da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB), reunido em 26 de novembro, aprovou o retorno das atividades acadêmicas presenciais de graduação no semestre 2021.2, marcado para iniciar em 11 de abril de 2022.

A Pró-Reitora de Graduação, professora Karina Cordeiro, apresentou a proposta de retomada das atividades acadêmicas presenciais, aprovação e regulamentação do Calendário Acadêmico de Graduação 2021.2 e 2022.1 elaborada de forma coletiva com a Superintendência de Regulação e Registros Acadêmicos (SURRAC), Coordenadoria de Tecnologia da Informação (COTEC) e Centros de Ensino. A proposta levou em consideração as Diretrizes Institucionais de Medidas de Biossegurança de Enfrentamento à COVID-19.

De acordo com a Resolução CONAC/UFRB Nº 40/2021, o semestre 2021.2 inicia em 11 de abril e termina em 06 de agosto de 2022. Já o semestre 2022.1 tem início em 29 de agosto e término em 24 de dezembro de 2022.

Servidores e estudantes que apresentam condições ou fatores de risco, conforme Artigo 3º da Resolução CONSUNI/UFRB Nº 07/2021, são preservados da presencialidade. Os servidores que se enquadram em uma das situações poderão executar suas atividades de forma remota e os estudantes terão direito ao regime de exercícios domiciliares.

Acesse a Resolução CONAC/UFRB Nº 40/2021.

Pós-Graduação

A Resolução CONAC/UFRB Nº 36/2021 regulamenta a retomada das atividades acadêmicas presenciais dos cursos de pós-graduação. O semestre 2022.1 começa em 21 de março de 2022 e encerra em 23 de julho. Já o semestre 2022.2 inicia em 22 de agosto e termina em 20 de dezembro.

Acesse a Resolução CONAC/UFRB Nº 36/2021.

Source: UFRB
{$inline_imageX}

UFRB manifesta profundo pesar pelo falecimento do professor Ferlando Lima Santos

A Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) vem a público manifestar profundo pesar pelo falecimento do professor Ferlando Lima Santos, ocorrido na madrugada deste sábado, 04 de dezembro de 2021.

Ferlando ingressou na UFRB em 2009 e era professor no curso de Nutrição do Centro de Ciências da Saúde (CCS), campus Santo Antônio de Jesus; no Programa de Pós-Graduação em Ciências Agrárias, do Centro de CIências Agrárias, Ambientais e Biológicas (CCAAB); no Mestrado Profissional em Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologia para a Inovação (PROFNIT); e era membro da Academia de Ciências da Bahia (ACB).

Na UFRB, Ferlando foi responsável pela criação da Coordenação de Criação e Inovação (CINOVA) da Pró-Reitoria de Pesquisa, Pós-Graduação, Criação e Inovação (PPGCI), em 2013, e em 2015 criou o Centro Colaborador em Alimentação e Nutrição Escolar (CECANE).

Na pesquisa, o destaque de referência nacional era sua atuação com kefir, tendo produzido um leite fermentado a partir dos grãos de kefir, que levou a obter a primeira patente da UFRB com o desenvolvimento de uma barra de cereal com gérmen de soja e cobertura de alfarroba. Também foi responsável pela segunda patente da Universidade com um shake de kefir enriquecido com ferro.

Ao tempo em que registra o seu pesar, a UFRB manifesta condolências aos familiares, amigos e colegas pela irreparável perda ocorrida.

Source: UFRB
{$inline_imageX}

Navio laboratório, máscara para casos respiratórios graves e moda no Univerciência

{youtube}jb_8xwFqTzM{/youtube}

Neste sábado (4) o Univerciência vai mostrar o veleiro científico Tara, que esteve em Salvador e explora o oceano para criar uma consciência coletiva entre os cidadãos sobre os temas ligados à biodiversidade marinha. O programa vai mostrar também a criação de uma nova máscara para tratar casos respiratórios graves, e exibe um estudo que avalia os efeitos da respiração enriquecida de oxigênio. A atração traz ainda um curso de extensão que capacita mulheres para atuarem no mundo da moda. No‌ ‌ar‌ ‌pela‌ ‌TVE‌ ‌aos‌ ‌sábados,‌ ‌às‌ ‌14h30,‌ ‌o‌ ‌programa‌ ‌tem‌ ‌horários‌ ‌alternativos‌ ‌às‌ ‌segundas-feiras,‌ ‌às‌ ‌20h30,‌ ‌e‌ ‌quartas-feiras,‌ ‌às‌ ‌7h30.‌

O projeto Tara Ocean surgiu para estudar os efeitos da interferência do homem nos mares. O veleiro de pesquisa de fundação francesa, do qual participam 36 instituições parceiras de 13 países, entre as quais a Universidade Federal da Bahia (UFBA), esteve de passagem em Salvador durante a expedição que integra o programa internacional de pesquisa AtlantECO. No programa, o telespectador vai conhecer o navio laboratório, que durante quase dois anos, percorrerá 70 mil quilômetros no Atlântico Sul, investigando o microbioma oceânico, suas interações com as mudanças climáticas e os impactos da poluição, especialmente do microplástico no mar.

A Universidade Federal do Ceará (UFC) desenvolveu uma nova máscara para uso em pacientes com dificuldades respiratórias, inclusive nos casos graves de covid-19. O protótipo, batizado de Wolf Mask, tem como características ser não invasivo e full face, ou seja, cobre todo o rosto. A proposta do equipamento é o uso em diferentes situações hospitalares e até em atendimento móvel. A ideia surgiu a partir do uso de máscaras de mergulho adaptadas para funções respiratórias em outros países, inclusive no Brasil, no início da pandemia do coronavírus.

Ainda nesta edição, o Univerciência vai mostrar a contribuição da ciência para o bom desempenho de práticas esportivas, foco de pesquisas da Universidade Federal de Sergipe (UFS). Dentre os temas estudados, foi investigado a efetividade da utilização da respiração enriquecida de oxigênio (hiperóxia) durante treinamentos de corrida, como forma de alcançar um melhor desempenho. A pesquisa traz à tona a questão da eficácia, segurança e ética. O projeto serve ainda como uma espécie de laboratório para os estudantes de educação física, estimula a prática de atividades físicas, promove saúde, bem estar e melhorias nos aspectos sociais e emocionais.

Moda, empreendedorismo e sustentabilidade são as marcas da Modateca, projeto de extensão do curso de administração da Universidade de Pernambuco (UPE). Dezenas de mulheres, em sua maioria artesãs, são beneficiadas com incentivos e orientações para as afroempreendedoras na produção de moda, na região metropolitana do Recife. O projeto é alvo de diversas pesquisas, a exemplo do estudo que traça o perfil social das empreendedoras e conseguiu constatar alguns dados, a exemplo dos percentuais de mulheres que já sofreram preconceito diante do cenário da moda e de quantas atuavam na informalidade.

Source: UFRB
{$inline_imageX}

UFRB registra em documentário entrega do título de Doutora Honoris Causa a Dona Cadu

{youtube}892QhT5lA_A{/youtube}

O Programa de Extensão de Formação em Comunicação exibiu o documentário da história da Doutora Honoris Causa, Ricardina Pereira da Silva, conhecida como Dona Cadu, no último dia 20 de novembro, durante a programação do 15º Fórum Pró-Igualdade Racial e Inclusão Social do Recôncavo (Fórum 2021). O vídeo tem tradução para LIBRAS.

Dona Cadu completou 101 anos em 2021, mulher negra, mãe, líder comunitária, detentora de saberes e fazeres ancestrais, memória viva de confluências afro-indígenas, sambadeira e mestra ceramista mais antiga de Coqueiros, distrito de Maragogipe (BA).

O documentário registra a entrega do título de Doutora Honoris Causa outorgado pela Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB), em solenidade realizada no dia 16 de abril de 2021, no Memorial Dona Cadu, Distrito de Coqueiros, em Maragojipe, com as presenças do reitor da UFRB, professor Fábio Jousé, da diretora do Centro de Artes, Humanidades e Letras (CAHL), professora Dyane Brito Reis Santos, do chefe da TV UFRB, Ivan Americano e da idealizadora do Memorial Dona Cadu, Rosângela Cordaro.

No momento da entrega, o reitor Fábio Josué destacou a importância da homenageada na história do seu povo, pelo seus amplos saberes e conhecimentos, adquiridos ao longo de sua vida, que eram reconhecidos pela maior honraria outorgada pela UFRB.

No documentário, Cadu canta sambas, conta experiências de vida, de trabalho árduo desde os dez anos de idade; de várias habilidades adquiridas e fazeres cotidianos. Dona Cadu foi – e continua sendo – tema de livros, dissertações, monografias e sambas. Sua história tem inspirado gerações.

Confira fotos da entrega do título de Doutora Honoris Causa para Dona Cadu:

{gallery}noticias2021/dona-cadu{/gallery}

 

Source: UFRB
{$inline_imageX}

Oxigênio nas árvores, aquaponia e café conilon no Univerciência

{youtube}E4K3tnjEFvY{/youtube}

O Univerciência deste sábado (27) vai explicar por que o oxigênio analisado em árvores da Caatinga é indicador de mudanças hidroclimáticas. O programa traz também uma técnica que integra a criação de organismos aquáticos e o cultivo de vegetais hidropônicos e um projeto de apoio e orientação a micro e pequenos produtores pesqueiros. Nesta edição, o telespectador vai conhecer uma forma diferente de plantar o café conilon na Bahia. No‌ ‌ar‌ ‌pela‌ ‌TVE‌ ‌aos‌ ‌sábados,‌ ‌às‌ ‌14h30,‌ ‌o‌ ‌programa‌ ‌tem‌ ‌horários‌ ‌alternativos‌ ‌às‌ ‌segundas-feiras,‌ ‌às‌ ‌20h30,‌ ‌e‌ ‌quartas-feiras,‌ ‌às‌ ‌7h30.‌

Observados no plano transversal da madeira, os chamados anéis de crescimento registram a história das árvores. Essa memória, guardada no tronco, acumula em cada camada informações sobre a influência das condições ambientais e climáticas no crescimento anual das plantas. A partir dessa observação, uma pesquisa realizada por cientistas da Universidade Federal de Sergipe (UFS), em parceria com a universidade alemã Friedrich-Alexander Erlangen-Nürnberg (FAU), investigou a correlação entre a variação isotópica do oxigênio 18 e os parâmetros climáticos, como a precipitação, umidade relativa e temperatura do ar, a partir da análise de anéis do Cedro. O trabalho de pesquisa é conhecido como Dendroecologia.

Na Universidade Federal do Ceará (UFC), pesquisadores estão utilizando a técnica da aquaponia para criar tilápia, plantar alface e gerar renda extra para o pequeno produtor. Derivada da combinação entre aquicultura (produção de organismos aquáticos) e hidroponia (produção de plantas sem solo) a aquaponia refere-se à integração entre a criação de organismos aquáticos, principalmente peixes, e o cultivo de vegetais hidropônicos, geralmente hortaliças. De acordo com a FAO (Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura), os sistemas aquapônicos são considerados uma atividade com enorme potencial para contribuir com o combate à fome em todo o mundo. Apesar de pouco difundida no Brasil, a técnica tem potencial para estimular a agricultura familiar nas cidades.

Com o objetivo de amenizar os impactos da pandemia na produção pesqueira dos pequenos criadores do Estado, o ‘If Mais Empreendedor’, projeto desenvolvido pelo Núcleo de Maricultura do Instituto Federal do Maranhão (IFMA), incentiva e auxilia a produção, servindo também como campo de aprendizado para os alunos. O projeto envolve uma ação multi campi, onde um grupo de professores de diferentes áreas trabalham para prestar consultoria aos empreendedores.

Uma forma diferente de plantar o café conilon na Bahia, mais especificamente no sudoeste do estado. Na divisa entre Minas Gerais e Bahia, o telespectador vai conhecer um produtor rural que aceitou o desafio da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb), de plantar o café conilon em uma altitude não apropriada para a espécie arábica. O resultado tem superado as expectativas dos pesquisadores e pode ser uma excelente alternativa para os produtores de café da região sul e sudoeste da Bahia, já bastante conhecidos pelo cultivo do produto.

Source: UFRB
{$inline_imageX}

Presidente da SBPC, Renato Janine, faz conferência de abertura da VII RECONCITEC

O presidente da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) e ex-ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro, é o palestrante da conferência de abertura da VII Reunião Anual de Ciência, Tecnologia, Inovação e Cultura no Recôncavo da Bahia (RECONCITEC), a ser realizada, de forma virtual, no próximo dia 30, às 15h30min, com transmissão pela TV UFRB.

O tema da conferência é “Viva a Ciência!” – proposição central desta edição da RECONCITEC. Para Renato Janine, “falta no Brasil uma consciência sobre a influência da pesquisa na prosperidade econômica e social”. “Talvez as pessoas valorizassem mais a ciência se tivessem uma noção mais clara do quanto devem à ciência”, disse em entrevista à Revista Pesquisa FAPESP.

Renato Janine Ribeiro é professor sênior do Departamento de Filosofia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (USP), presidente da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), com mandato até 2023; ex-ministro da Educação (2015); e ex-diretor de avaliação da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).

Ribeiro é acadêmico emérito da Academia Paulista de Direito. Formou-se em Filosofia pela USP em 1971 e defendeu seu mestrado na Université de Paris-I, Panthéon-Sorbonne, em 1973. Concluiu o doutorado em Filosofia pela Universidade de São Paulo, em 1984.

Ribeiro tem 100 capítulos de livros (isto é, artigos publicados em livros). Publicou 14 livros como autor único, 3 em parceria e ainda organizou 4 livros coletivos. Participou de 18 eventos no Brasil. Publicou 83 artigos em periódicos especializados, 14 trabalhos em anais de eventos e 21 prefácios e/ou posfácios. Recebeu o prêmio Jabuti de melhor ensaio (2001), a Ordem Nacional do Mérito Científico (1997), a Ordem de Rio Branco (2009), a Ordem do Mérito Naval (2015) e a Grande Medalha da Inconfidência (2018).

RECONCITEC

A VII RECONCITEC, acontece no período de 30 de novembro a 03 de dezembro, é destinada a toda a comunidade acadêmica (docentes, técnicos, discentes de graduação e pós-graduação) da UFRB e diversas Instituições de ensino, pesquisa e extensão a nível nacional e internacional, funcionários de empresas público-privadas, representantes dos Colegiados Territoriais (Recôncavo, Vale do Jiquiriçá, Portal do Sertão, Sisal e Baixo Sul), dentre outros.

A RECONCITEC visa à difusão e o estímulo do debate acerca das atividades científicas, extensionistas, tecnológicas, de internacionalização e permanência qualificada desenvolvidas em âmbito nacional e especificamente na região do Recôncavo Baiano. Objetiva ainda propiciar o intercâmbio da ciência e a aplicabilidade de resultados científicos e tecnológicos e elaborar estratégias para a promoção do desenvolvimento do Recôncavo da Bahia.

Concomitantemente à VII RECONCITEC, vão ser realizados o XV Seminário Estudantil de Pesquisa, Inovação e Pós-Graduação (XV SEPIP), o VI Simpósio de Extensão, o II Seminário de Políticas Afirmativas e Assuntos Estudantis da UFRB: Os primeiros não serão os últimos, a IX Feira Acadêmica de Economia Solidária (IX FAESOL) e III Simpósio de Graduação da UFRB, tornando-se um importante espaço de diálogo sobre as políticas de pesquisa, pós-graduação, permanência qualificada e extensão da UFRB e também de apresentação das ações realizadas pelos programas e projetos inseridos em diversos Territórios de Identidade do Estado da Bahia.

O público esperado para essa edição inclui toda a comunidade acadêmica (docentes, técnicos, discentes de graduação e pós-graduação) da UFRB e diversas Instituições de ensino, pesquisa e extensão a nível nacional e internacional, funcionários de empresas público-privadas, representantes dos Colegiados Territoriais (Recôncavo, Vale do Jiquiriçá, Portal do Sertão, Sisal e Baixo Sul), dentre outros.

Com informações do Currículo Lattes de Renato Janine.

Mais sobre a programação da RECONCITEC em https://ufrb.edu.br/ppgci/reconcitec2021.

Source: UFRB
{$inline_imageX}

UFRB abre edital de Kit de Tecnologia Assistiva para Pessoa com Deficiência

A Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB), por meio de sua Pró-Reitoria de Graduação (PROGRAD), divulga processo seletivo destinado a Pessoa com Deficiência (PcD), matriculada em cursos de graduação da instituição, para a concessão de Auxílio Kit de Tecnologia Assistiva.

Podem solicitar o auxílio, estudantes de graduação com deficiência (física, intelectual, auditiva, visual e transtornos do espectro autista), em situação de vulnerabilidade socioeconômica, matriculados no semestre correspondente a 2021.1. 

O período de inscrição do processo seletivo é de 24 a 30 de novembro próximo, por meio de preenchimento de formulário específico; e anexação de documentos solicitados no Edital Nº 35/2021 PROGRAD/NUPI.

Para inscrever-se no processo seletivo, cabe ao candidato ou o seu responsável, orientar-se sobre quais materiais e tecnologias assistivas poderá solicitar, observando lista de sugestões de modalidades de tecnologia assistiva e de materiais, disponível no Anexo I, do edital.

O auxílio financeiro do Kit PcD é para aquisição de tecnologia assistiva e/ou materiais acadêmicos específicos e/ou de instrução, de uso individual, pago em parcela única, com o limite de até R$ 3.000,00 (três mil reais), considerando a especificidade do material solicitado.

A Tecnologia Assistiva está relacionada, exclusivamente, a produtos, equipamentos, dispositivos de acessibilidade, que objetivem promover a funcionalidade, relacionada à atividade e a participação da pessoa com deficiência, visando sua autonomia, independência, qualidade de vida e inclusão social (Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com deficiência, n° 13.146/2015 art. 3°, inciso III).

Segundo o edital, considerando que a UFRB está ofertando atividades acadêmicas de caráter remoto emergencial, será possível a aquisição de equipamento (notebook, desktop, all-in-one ou tablet) que possibilite o acesso à internet.

Os recursos financeiros destinados a este Edital são provenientes do Programa Nacional de Assistência Estudantil (PNAES), regulamentado pelo Decreto nº 7.234 de 19 de julho de 2010 e direcionados ao desenvolvimento das ações de Assistência Estudantil para estudantes com deficiência, pessoas com transtorno do espectro autista, com altas habilidades/superdotação, condicionados à disponibilidade orçamentária. 

A concessão do Auxílio Kit PcD de Tecnologia Assistiva é destinada para estudantes com deficiência que não possuem condições de arcar com custeio parcial ou integral de despesas com aquisição de tecnologia assistiva e de materiais acadêmicos específicos e materiais de instrução.

Tecnologia Assistiva

A Tecnologia Assistiva de que trata o Edital Nº 35/2021 está relacionada, exclusivamente, a produtos, equipamentos, dispositivos de acessibilidade que objetivem promover a funcionalidade, relacionada à atividade e à participação da pessoa com deficiência, visando à autonomia, independência, qualidade de vida e inclusão social.

Conheça mais sobre o Núcleo de Políticas de Inclusão da UFRB em www.ufrb.edu.br/nupi.

E-mail nupi@prograd.ufrb.edu.br ou pelo telefone (75) 99969-6146 WhatsApp (apenas mensagem ou vídeo em Libras).

Confira o edital e os anexos:

Para inscrever-se clique aqui.

Edital Nº 35/2021/PROGRAD/NUPI.

Anexo I – Lista de sugestões de tecnologia assistiva para equipamentos para pessoas com deficiência física.

Anexo II – Documentação.

Anexo III – Plano de execução e proposta orçamentária.

Anexo IV – Da pontuação e cálculo para seleção.

Anexo V – Declaração socioeconômica e de composição familiar.

Anexo VI – Declaração de rendimento de trabalhador autônomo (formal ou informal).

Anexo VII – Declaração de situação de desemprego.

Anexo VIII – Declaração de recebimento de pensão alimentícia.

Source: UFRB
{$inline_imageX}

UFRB publica fascículos sobre Políticas Educativas e Direitos de Cidadania

A educação como política pública deve ser estrategicamente planejada, executada, monitorada e avaliada constantemente pelos órgãos competentes, pelos gestores federais, estaduais e municipais e pela sociedade civil organizada, a partir de um controle social responsável e da reivindicação constante pela transparência pública tangente a consecução das suas metas.

Com esse conceito, o Grupo de Pesquisa Políticas de Qualidade do Ensino e Formação Profissional (POLI-QUEFORP), em articulação com mestrandos do Programa de Pós-graduação em Gestão de Políticas Públicas e Segurança Social (PPGGPPSS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB), divulgam conjunto de fascículos, em formato digital, sobre Políticas Educativas e Direitos de Cidadania, composto por sete volumes, todos centrados em políticas públicas vinculadas ao campo da Educação e suas adjacências.

A produção dos fascículos é parte das atividades do componente curricular Políticas Educativas, Instituições e Atores Sociais, ministradas pelo professor da UFRB e do mestrado profissional, Neilton da Silva, também tutor do Grupo PET UFRB e Recôncavo em Conexão; e ofertado no semestre correspondente ao período 2021.1.

Os fascículos são direcionados aos estudantes da escola básica, estudantes de graduação, professores da educação básica, docentes universitários, gestores escolares, pessoal de apoio técnico e administrativos das escolas, pais e ou responsáveis e interessados em geral nas temáticas de cada volume.

Os autores dos fascículos sobre Políticas Educativas e Direitos da Cidadania pretendem que as informações neles contidas sejam capazes de situar as pessoas acerca da existência das políticas educativas explicitadas em cada volume, da sua dinâmica de funcionamento, dos agentes e instituições públicos responsáveis, de modo a obterem os subsídios necessários para realizar controle social, do ponto de vista da sua oferta, da qualidade da sua execução e dos impactos gerados na vida do público-alvo de cada política abordada.

Os fascículos digitais assumem uma linguagem acessível com conteúdo visual (fotos e ilustrações) e contém indicações de vídeos, podcasts e games; oferecem caça-palavras, quizzes, palavras cruzadas, curiosidades, nuvens de palavras, QR Code, gráficos, linhas do tempo, entrevistas, experiências; bem como indicam normas, legislações e orientações para compreender os temas relacionados às Políticas Educativas e Direitos de Cidadania.

O objetivo dos fascículos digitais “é proporcionar aos cidadãos em geral a compreensão acerca de um conjunto de políticas educativas, ofertadas pelos entes federados (União, Estados e Municípios), em regime de colaboração, que estão em vigência e/ou que versam sobre temas que estão na ordem do dia, mas que a população desconhece parcial ou totalmente”, explica o professor Neilton da Silva.

Cada volume foi escrito numa linguagem simples, muitas vezes até divertida, tendo em vista os recursos lúdicos assegurados (a exemplo de caça-palavras), sem a complexidade de certos textos acadêmicos utilizados na formação universitária. 

Os fascículos não têm a pretensão de esgotar as temáticas tratadas em cada volume, tampouco de aprofundá-las à exaustão. “Muito pelo contrário, sem apelo à ingenuidade, a ideia dos autores é que as pessoas possam ter acesso, conhecer as políticas educativas, problematizar seu funcionamento e até mesmo reivindicar sistemas de melhoria, quando couber”, afirma Neilton.

Os fascículos

O Volume 1: Plano Nacional de Educação e Estratégias de Monitoramento, dos autores Felipe Novaes Coelho e (psicólogo e mestrando) e Neilton da Silva (professor doutor em Educação e Contemporaneidade), tem 27 páginas.

A publicação tem por objetivo tornar ostensivo à sociedade o que preconiza a Lei nº 13.005 de 2014, que dispõe sobre o Plano Nacional de Educação (PNE), considerando sua origem, fundamento legal, definição, conjunto de metas, indicadores, atores responsáveis pelo seu monitoramento e o modo como tem se dado publicidade aos seus resultados em todos os níveis, modalidades, entre outros.

Esse fascículo trouxe um assunto considerado complexo de maneira leve e esclarecedora, conduzindo o leitor por caminhos que lhe levem a reconhecer avanços, mas também a perceber retrocessos na construção de objetivos, metas e estratégias elaborados para garantir a manutenção e o desenvolvimento do ensino em todos os seus níveis, etapas e modalidades.

O Volume 2: Programa Nacional de Educação Ambiental, dos autores Jamile Santana Sousa (Coordenadora de Projetos da Associação Gente da Gente e mestranda) e Neilton da Silva (professor), tem 23 páginas.

O objetivo da publicação foi refletir sobre a questão ambiental por meio das Organizações da Sociedade Civil (OSC) e as possibilidades que esse ator social tem no processo de criação e execução de projetos e/ou práticas educativas capazes de problematizar a relação homem-natureza, com vistas à construção de uma consciência socioambiental crítica, ética e sustentável.

O fascículo propõe uma contextualização da Política Nacional de Educação Ambiental, situando as bases legais e as diferentes visões de educação ambiental que convivem entre si, adotando a perspectiva não formal, por meio das OSC, em alinhamento com o que propõe a Agenda 21.

O Volume 3: Programa Nacional de Alimentação Escolar, dos autores Cleunice Pereira dos Santos (Tecnóloga em Gestão de Cooperativas e mestranda) e Neilton da Silva (professor), tem 27 páginas.

O Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) é uma política pública antiga, seu funcionamento é essencial para a segurança alimentar de muitas famílias. No campo da educação, o PNAE viabiliza o acesso a alimentação de qualidade intermediada por profissionais de nutrição.

O objetivo da publicação é tornar ostensiva à população a existência dessa política pública de segurança alimentar, voltada para as escolas e os educandos, por meio da abordagem do seu histórico, objetivos, recursos, tipos de compras, dinâmica de funcionamento, as estratégias da oferta, as parcerias, os desafios existentes, sobretudo na pandemia, bem como sublinhar o papel da agricultura familiar e dos agricultores no tocante à participação no programa e a garantia incessante de produção sustentável, mesa farta e saudável que colocam a serviço das redes de ensino de todo o país.

O Volume 4: Programa Saúde na Escola, dos autores Wellington Ramos Gomes Junior (psicólogo, bolsista FAPESB e mestrando) e Neilton da Silva (professor), tem 28 páginas.

O objetivo da publicação foi conferir informações sobre Programa Saúde na Escola (PSE), levando em conta sua história, definição, marcos legais, objetivos, diretrizes, eixos temáticos, experiências exitosas no contexto da Bahia, assim como refletir sobre certos desafios, que ainda carecem de superação visando a conquista de mais qualidade.

O destaque do PSE está na abordagem de temas e das ações que entrelaçam saúde e educação no sentido de que orientam os escolares e os instigam a compreenderem o papel da saúde na vida dos cidadãos, para que construam autonomia, se reconheçam como sujeitos de direitos e percebam a importância da educação para a promoção da saúde com qualidade referenciada.

O Volume 5: Política de Educação Hospitalar, dos autores de Luis Paulo Santos da Cruz (contador e servidor da Prefeitura Municipal de Maragogipe) e Neilton da Silva (professor), tem 24 páginas.

A Política de Educação Hospitalar é uma política voltada para crianças acometidas por patologias agudas ou crônicas, que as impossibilitam de irem à escola, e, consequentemente, só poderiam ter acesso à educação em unidades de saúde, a exemplo dos hospitais – via classe hospitalar – ou em suas próprias casas – via atendimento domiciliar.

O fascículo traz informações importantes sobre os principais estágios da construção da política, sua história, caracterização, base legal, objetivos, público-alvo, atendimento e adaptação de recursos e instrumentos didáticos pedagógicos e os resultados esperados.

O Volume 6: Programa de Educação Tutorial (PET), dos autores Wagner Tavares da Silva (servidor e atual pró-reitor de Pessoal da UFRB) e Neilton da Silva (professor), tem 26 páginas.

O conhecimento do Programa de Educação Tutorial (PET) pode ajudar aos estudantes universitários em ter o desejo de se inserir no programa, na condição de bolsistas, ao tomarem ciência das suas vivencias pautadas na indissociabilidade entre o ensino, a pesquisa e a extensão, e a partir delas obter uma formação crítica, reflexiva, protagonista, autônoma e intelectual.

O PET é constituído por grupos tutoriais diversos que tem como objetivo levar até os estudantes, sob a orientação de um professor tutor, condições para a realização de atividades complementares à sua formação acadêmica, com o intuito de alcançar a melhoria da qualidade acadêmica dos cursos de graduação atendidos.

O Volume 7: Escolas Cívico-militares e Cidadania Educativa, dos autores Cintia Souza Machado Ferreira (servidora da Universidade Estadual de Feira de Santana e mestranda) e Neilton da Silva (professor), tem 24 páginas.

O objetivo do fascículo é esclarecer e problematizar a temática das Escolas Cívico-militares, de modo que os profissionais da área de educação e os cidadãos em geral possam compreender as diferentes visões e as contradições que permeiam o assunto, de modo que sejam capazes de se posicionar sobre ele, e, eventualmente, tratando-se de adultos e/ou responsáveis, decidam se matriculariam seu filho em alguma “escola militarizada” ou não.

A Escola Cívico-Militar é uma mescla entre a escola pública tradicional e a escola militar, a gestão é compartilhada entre a Secretaria de Educação e a de Segurança Pública, de modo que a gestão pedagógica fica sob a responsabilidade de pedagogos e profissionais de Educação, enquanto a gestão administrativa e de conduta ficam com os militares ou profissionais da área de segurança.

Conheça mais sobre o mestrado em https://www.ufrb.edu.br/mpgestaoppss/.

Source: UFRB
{$inline_imageX}

Reabilitação pós Covid-19, microplásticos nos oceanos e quilombolas no Univerciência

O Univerciência deste sábado (20) vai falar sobre os métodos de reabilitação de pacientes com sequelas pós Covid-19 e um projeto que analisa o impacto dos microplásticos nos oceanos. O programa traz também uma pesquisa sobre pequenos mamíferos como roedores e marsupiais na Caatinga. Nesta edição tem ainda uma reportagem sobre o mapeamento das atividades quilombolas e os serviços essenciais como saúde e creches. No‌ ‌ar‌ ‌pela‌ ‌TVE‌ ‌aos‌ ‌sábados,‌ ‌às‌ ‌14h30,‌ ‌o‌ ‌programa‌ ‌tem‌ ‌horários‌ ‌alternativos‌ ‌às‌ ‌segundas-feiras,‌ ‌às‌ ‌20h30,‌ ‌e‌ ‌quartas-feiras,‌ ‌às‌ ‌7h30.‌

Após a recuperação da Covid-19, muitos pacientes graves ainda têm o desafio de retomar a rotina normal. Nessa fase as sequelas deixadas pelo vírus ficam evidentes e podem comprometer a qualidade de vida. É aí que entra a missão dos pesquisadores do Ambulatório de Saúde da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS) que buscam promover a reabilitação e a melhoria da qualidade de vida dos pacientes, com atendimento à população e desenvolvendo pesquisas que analisam as sequelas da doença.

Uma ameaça muito debatida nos últimos anos por ambientalistas e cientistas: os microplásticos. Eles apresentam riscos, tanto para o meio ambiente quanto para a saúde humana. Estudar essas partículas, que chegam a no máximo 5 milímetros de espessura, tem sido um desafio na Universidade Federal do Ceará (UFC), por meio do Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Pesca, que analisou a dieta de diferentes espécies para quantificar o impacto dos microplásticos. O projeto leva em consideração o tipo de alimento que consomem e a pesquisa analisou 214 estômagos de sete diferentes espécies de peixes, coletados de 2015 a 2017 na praia do Meireles, em Fortaleza.

Estudantes do curso de Ecologia da Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA) têm ido a campo para capturar animais e realizar a coleta de dados para a pesquisa “Ecologia e diversidade de pequenos mamíferos da Caatinga: roedores e marsupiais (mamíferos de bolsa)”. O projeto faz um levantamento da diversidade e estuda a dinâmica da comunidade e das populações de pequenos mamíferos não voadores como ratos, cassacos (gambás, saruê). O estudo é pioneiro na caatinga do Rio Grande do Norte, numa área que ainda mantém todas as características dessa vegetação preservada.

No campus Arcoverde, no sertão de Pernambuco, os cientistas buscam o mapeamento das comunidades quilombolas porque apenas 7% das terras reconhecidas como pertencentes a povos remanescentes de quilombos estão regularizadas no Brasil. O grupo de Extensão “Direito em Movimento” da Universidade de Pernambuco (UPE), produz mapas para calcular as distâncias entre as comunidades quilombolas e os serviços básicos como postos de saúde e creches. A iniciativa resultará em um relatório que será enviado ao Ministério Público Federal e à Defensoria Pública da União para colaborar para a garantia de direitos essenciais dessas comunidades.

Criado em 2020 pela TV UESB (Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia), o Univerciência transformou-se, a partir da parceria com a TVE Bahia e 40 instituições públicas de ensino superior de todo o Nordeste, em um conteúdo colaborativo com alcance e repercussão nacional, através da veiculação por TVs públicas, educativas, culturais e universitárias, e nos canais das emissoras, universidades e institutos na internet.

Source: UFRB
{$inline_imageX}

UFRB seleciona professores formadores para atuarem em cursos de EaD

A Superintendência de Educação Aberta e a Distância (SEAD) da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) abre edital com os procedimentos, instruções e inscrições para o preenchimento de vagas remanescentes de professores formadores para atuarem temporariamente na Educação a Distância, para os cursos de Licenciatura Interdisciplinar em Artes; Licenciatura Plena em Música Popular Brasileira; e Licenciatura em Matemática, no âmbito do Sistema Universidade Aberta do Brasil (UAB).

São disponibilizadas seis vagas. Os candidatos convocados deverão ter disponibilidade de vinte horas semanais para desenvolver as atividades a distância e na sede da Superintendência Educação Aberta e a Distância da UFRB, Campus Cruz das Almas.

Poderão participar do processo seletivo servidores de Instituições de Ensino Superior (IES) da rede pública de ensino federal/estadual, no Estado da Bahia.

O período de inscrição para os interessados é de 16 a 21 de novembro.

O desenvolvimento das atividades do candidato selecionado não caracteriza vínculo empregatício com a UAB e nem com a UFRB.

O tipo de vínculo, a ser estabelecido entre o candidato selecionado e a SEAD/UFRB/UAB, refere-se unicamente à categoria de bolsista da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)/UAB durante a vigência da bolsa.

As atividades dos profissionais selecionados estão previstas para iniciarem no mês de fevereiro de 2022.

Bolsas

Os candidatos selecionados receberão bolsas correspondente valores de R$ 1.300,00 (Hum mil e trezentos reais); e R$ 1.100,00 (Hum mil e cem reais), dependendo da experiência do profissional.

Leia o Edital SEAD Nº 13/2021.

Mais informações em ufrb.edu.br/ead.

E-mail: sead@sead.ufrb.edu.br.

Source: UFRB
{$inline_imageX}