Tecnologia 3D em cirurgias, biomassa para energia e exoplanetas no Univerciência

{youtube}k0qhQAMt_QE{/youtube}

No Univerciência deste sábado (23) o telespectador vai conhecer um novo método que utiliza tecnologia 3D para procedimentos cirúrgicos, e uma pesquisa com biomassa como alternativa sustentável de geração de energia. O programa vai mostrar ainda um estudo sobre os exoplanetas, que pode ajudar a trazer respostas relacionadas ao nosso Universo, e a criação de um produto que aumenta a durabilidade e protege frutas e verduras de doenças. No‌ ‌ar‌ ‌pela‌ ‌TVE‌ ‌aos‌ ‌sábados,‌ ‌às‌ ‌14h30,‌ ‌o‌ ‌programa‌ ‌tem‌ ‌horários‌ ‌alternativos‌ ‌às‌ ‌segundas-feiras,‌ ‌às‌ ‌20h30,‌ ‌e‌ ‌quartas-feiras,‌ ‌às‌ ‌7h30.‌

Uma metodologia desenvolvida na Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) utiliza tecnologias 3D para procedimentos cirúrgicos e biomodelos a serem usados pelos cirurgiões nos hospitais da Paraíba, para otimizar as operações e beneficiar os pacientes. Procedimentos em traumato-ortopédica, cardíaca, fetal, bucomaxilo facial, neurocirúrgica, serão diretamente auxiliados pelos estudos. Eles conseguem projetar em tamanho real o osso do paciente para que o médico tenha dimensão exata do que fazer no momento da cirurgia. Segundo os pesquisadores a tecnologia garante melhores resultados para os pacientes e ainda economia para o Sistema Único de Saúde (SUS).

Na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), os pesquisadores do Laboratório de Tecnologia Ambiental estão desenvolvendo pesquisa para o aproveitamento energético da biomassa. A biomassa é todo material que contenha energia química em seu interior e pode ser extraída de qualquer tipo de vegetação e árvore, lixo orgânico, resíduos agroindustriais e dejetos de animais. Visando alternativas sustentáveis na geração de energia, os pesquisadores trabalham no desenvolvimento de técnicas para o aproveitamento energético a partir deste material, e os estudos incluem a produção de um bio-óleo extraído de produtos naturais.

Será possível encontrar um planeta similar à Terra no qual possamos viver? O programa vai mostrar os trabalhos desenvolvidos pelo Departamento de Física (DFI) da Universidade Federal de Sergipe (UFS), que estudam as propriedades químicas dos exoplanetas (planetas que orbitam estrelas pertencentes a um sistema planetário distinto do nosso). Segundo os pesquisadores verificou-se que um exoplaneta chamado ‘Ross 128b’ pode possuir características muito semelhantes ao planeta Terra, havendo a possibilidade de ele ser uma potencial Terra 2.0.

Um produto que aumenta a durabilidade e protege frutas e verduras de doenças garantiu a décima quarta carta patente da Universidade Federal do Ceará (UFC). A invenção do revestimento é à base de soro de leite e óleo essencial de erva-doce, que aumenta a durabilidade dos frutos pós-colheita. Nos testes, houve um aumento de até 10 dias no tempo de vida útil do mamão a partir do uso do revestimento. O telespectador vai conhecer a invenção, que pode ser aplicada também em outros alimentos, entre frutas e hortaliças, sendo necessário apenas ajustes nas proporções das substâncias que o compõem.

Criado em 2020 pela TV UESB (Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia), o Univerciência transformou-se, a partir da parceria com a TVE Bahia e 40 instituições públicas de ensino superior de todo o Nordeste, em um conteúdo colaborativo com alcance e repercussão nacional, através da veiculação por TVs públicas, educativas, culturais e universitárias, e nos canais das emissoras, universidades e institutos na internet.

Source: UFRB
{$inline_imageX}

Tecnologia 3D em cirurgias, biomassa para energia e exoplanetas no Univerciência

{youtube}k0qhQAMt_QE{/youtube}

No Univerciência deste sábado (23) o telespectador vai conhecer um novo método que utiliza tecnologia 3D para procedimentos cirúrgicos, e uma pesquisa com biomassa como alternativa sustentável de geração de energia. O programa vai mostrar ainda um estudo sobre os exoplanetas, que pode ajudar a trazer respostas relacionadas ao nosso Universo, e a criação de um produto que aumenta a durabilidade e protege frutas e verduras de doenças. No‌ ‌ar‌ ‌pela‌ ‌TVE‌ ‌aos‌ ‌sábados,‌ ‌às‌ ‌14h30,‌ ‌o‌ ‌programa‌ ‌tem‌ ‌horários‌ ‌alternativos‌ ‌às‌ ‌segundas-feiras,‌ ‌às‌ ‌20h30,‌ ‌e‌ ‌quartas-feiras,‌ ‌às‌ ‌7h30.‌

Uma metodologia desenvolvida na Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) utiliza tecnologias 3D para procedimentos cirúrgicos e biomodelos a serem usados pelos cirurgiões nos hospitais da Paraíba, para otimizar as operações e beneficiar os pacientes. Procedimentos em traumato-ortopédica, cardíaca, fetal, bucomaxilo facial, neurocirúrgica, serão diretamente auxiliados pelos estudos. Eles conseguem projetar em tamanho real o osso do paciente para que o médico tenha dimensão exata do que fazer no momento da cirurgia. Segundo os pesquisadores a tecnologia garante melhores resultados para os pacientes e ainda economia para o Sistema Único de Saúde (SUS).

Na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), os pesquisadores do Laboratório de Tecnologia Ambiental estão desenvolvendo pesquisa para o aproveitamento energético da biomassa. A biomassa é todo material que contenha energia química em seu interior e pode ser extraída de qualquer tipo de vegetação e árvore, lixo orgânico, resíduos agroindustriais e dejetos de animais. Visando alternativas sustentáveis na geração de energia, os pesquisadores trabalham no desenvolvimento de técnicas para o aproveitamento energético a partir deste material, e os estudos incluem a produção de um bio-óleo extraído de produtos naturais.

Será possível encontrar um planeta similar à Terra no qual possamos viver? O programa vai mostrar os trabalhos desenvolvidos pelo Departamento de Física (DFI) da Universidade Federal de Sergipe (UFS), que estudam as propriedades químicas dos exoplanetas (planetas que orbitam estrelas pertencentes a um sistema planetário distinto do nosso). Segundo os pesquisadores verificou-se que um exoplaneta chamado ‘Ross 128b’ pode possuir características muito semelhantes ao planeta Terra, havendo a possibilidade de ele ser uma potencial Terra 2.0.

Um produto que aumenta a durabilidade e protege frutas e verduras de doenças garantiu a décima quarta carta patente da Universidade Federal do Ceará (UFC). A invenção do revestimento é à base de soro de leite e óleo essencial de erva-doce, que aumenta a durabilidade dos frutos pós-colheita. Nos testes, houve um aumento de até 10 dias no tempo de vida útil do mamão a partir do uso do revestimento. O telespectador vai conhecer a invenção, que pode ser aplicada também em outros alimentos, entre frutas e hortaliças, sendo necessário apenas ajustes nas proporções das substâncias que o compõem.

Criado em 2020 pela TV UESB (Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia), o Univerciência transformou-se, a partir da parceria com a TVE Bahia e 40 instituições públicas de ensino superior de todo o Nordeste, em um conteúdo colaborativo com alcance e repercussão nacional, através da veiculação por TVs públicas, educativas, culturais e universitárias, e nos canais das emissoras, universidades e institutos na internet.

Source: UFRB
{$inline_imageX}

Tecnologia 3D em cirurgias, biomassa para energia e exoplanetas no Univerciência

{youtube}k0qhQAMt_QE{/youtube}

No Univerciência deste sábado (23) o telespectador vai conhecer um novo método que utiliza tecnologia 3D para procedimentos cirúrgicos, e uma pesquisa com biomassa como alternativa sustentável de geração de energia. O programa vai mostrar ainda um estudo sobre os exoplanetas, que pode ajudar a trazer respostas relacionadas ao nosso Universo, e a criação de um produto que aumenta a durabilidade e protege frutas e verduras de doenças. No‌ ‌ar‌ ‌pela‌ ‌TVE‌ ‌aos‌ ‌sábados,‌ ‌às‌ ‌14h30,‌ ‌o‌ ‌programa‌ ‌tem‌ ‌horários‌ ‌alternativos‌ ‌às‌ ‌segundas-feiras,‌ ‌às‌ ‌20h30,‌ ‌e‌ ‌quartas-feiras,‌ ‌às‌ ‌7h30.‌

Uma metodologia desenvolvida na Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) utiliza tecnologias 3D para procedimentos cirúrgicos e biomodelos a serem usados pelos cirurgiões nos hospitais da Paraíba, para otimizar as operações e beneficiar os pacientes. Procedimentos em traumato-ortopédica, cardíaca, fetal, bucomaxilo facial, neurocirúrgica, serão diretamente auxiliados pelos estudos. Eles conseguem projetar em tamanho real o osso do paciente para que o médico tenha dimensão exata do que fazer no momento da cirurgia. Segundo os pesquisadores a tecnologia garante melhores resultados para os pacientes e ainda economia para o Sistema Único de Saúde (SUS).

Na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), os pesquisadores do Laboratório de Tecnologia Ambiental estão desenvolvendo pesquisa para o aproveitamento energético da biomassa. A biomassa é todo material que contenha energia química em seu interior e pode ser extraída de qualquer tipo de vegetação e árvore, lixo orgânico, resíduos agroindustriais e dejetos de animais. Visando alternativas sustentáveis na geração de energia, os pesquisadores trabalham no desenvolvimento de técnicas para o aproveitamento energético a partir deste material, e os estudos incluem a produção de um bio-óleo extraído de produtos naturais.

Será possível encontrar um planeta similar à Terra no qual possamos viver? O programa vai mostrar os trabalhos desenvolvidos pelo Departamento de Física (DFI) da Universidade Federal de Sergipe (UFS), que estudam as propriedades químicas dos exoplanetas (planetas que orbitam estrelas pertencentes a um sistema planetário distinto do nosso). Segundo os pesquisadores verificou-se que um exoplaneta chamado ‘Ross 128b’ pode possuir características muito semelhantes ao planeta Terra, havendo a possibilidade de ele ser uma potencial Terra 2.0.

Um produto que aumenta a durabilidade e protege frutas e verduras de doenças garantiu a décima quarta carta patente da Universidade Federal do Ceará (UFC). A invenção do revestimento é à base de soro de leite e óleo essencial de erva-doce, que aumenta a durabilidade dos frutos pós-colheita. Nos testes, houve um aumento de até 10 dias no tempo de vida útil do mamão a partir do uso do revestimento. O telespectador vai conhecer a invenção, que pode ser aplicada também em outros alimentos, entre frutas e hortaliças, sendo necessário apenas ajustes nas proporções das substâncias que o compõem.

Criado em 2020 pela TV UESB (Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia), o Univerciência transformou-se, a partir da parceria com a TVE Bahia e 40 instituições públicas de ensino superior de todo o Nordeste, em um conteúdo colaborativo com alcance e repercussão nacional, através da veiculação por TVs públicas, educativas, culturais e universitárias, e nos canais das emissoras, universidades e institutos na internet.

Source: UFRB
{$inline_imageX}

Nota de repúdio sobre o atraso no pagamento das bolsas Pibid e Residência Pedagógica

A Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) solidariza-se com os(as) bolsistas do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação a Docência (Pibid) e Residência Pedagógica (RP) que estão sem receber as suas bolsas e repudia o atraso em resolver este problema nacionalmente.

Ambos os programas são financiados pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), fazem parte da Política Nacional de Formação de Professores e têm sido avaliados como estratégicos na formação inicial docente. Na UFRB são 672 estudantes atendidos pelos programas Pibid e RP em seus diversos cursos de licenciatura. No Brasil, há cerca de 60 mil bolsistas que atuam nestes programas.

O(a)s bolsistas dos programas só tiveram ciência da situação ao não receberem a bolsa do mês de setembro. Segundo nota publicada pela Capes em 07/10, o atraso no pagamento das bolsas tem por justificativa a necessidade de aprovação do PLN 17/2021 pela Comissão Mista de Orçamento do Congresso Nacional, que busca a recomposição orçamentária.

O atraso no pagamento das bolsas prejudica os alunos e o desenvolvimento de ações que estão em curso nas escolas-parceiras.

Os estudantes bolsistas destes programas, além da aprendizagem e experiência na formação inicial docente, precisam dos recursos das bolsas para se manter nos cursos de licenciaturas e sustentarem-se financeiramente, sobretudo na alimentação, neste momento tão difícil de pandemia e em que a situação econômica do nosso país aprofunda a vulnerabilidade socioeconômica das camadas populares, que compõe maior contingente de estudantes de nossa Universidade.

Assim, nos solidarizamos com estudantes bolsistas e clamamos pela regularização do pagamento das bolsas.

Universidade Federal do Recôncavo da Bahia – UFRB

Source: UFRB
{$inline_imageX}

Nota de repúdio sobre o atraso no pagamento das bolsas Pibid e Residência Pedagógica

A Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) solidariza-se com os(as) bolsistas do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação a Docência (Pibid) e Residência Pedagógica (RP) que estão sem receber as suas bolsas e repudia o atraso em resolver este problema nacionalmente.

Ambos os programas são financiados pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), fazem parte da Política Nacional de Formação de Professores e têm sido avaliados como estratégicos na formação inicial docente. Na UFRB são 672 estudantes atendidos pelos programas Pibid e RP em seus diversos cursos de licenciatura. No Brasil, há cerca de 60 mil bolsistas que atuam nestes programas.

O(a)s bolsistas dos programas só tiveram ciência da situação ao não receberem a bolsa do mês de setembro. Segundo nota publicada pela Capes em 07/10, o atraso no pagamento das bolsas tem por justificativa a necessidade de aprovação do PLN 17/2021 pela Comissão Mista de Orçamento do Congresso Nacional, que busca a recomposição orçamentária.

O atraso no pagamento das bolsas prejudica os alunos e o desenvolvimento de ações que estão em curso nas escolas-parceiras.

Os estudantes bolsistas destes programas, além da aprendizagem e experiência na formação inicial docente, precisam dos recursos das bolsas para se manter nos cursos de licenciaturas e sustentarem-se financeiramente, sobretudo na alimentação, neste momento tão difícil de pandemia e em que a situação econômica do nosso país aprofunda a vulnerabilidade socioeconômica das camadas populares, que compõe maior contingente de estudantes de nossa Universidade.

Assim, nos solidarizamos com estudantes bolsistas e clamamos pela regularização do pagamento das bolsas.

Universidade Federal do Recôncavo da Bahia – UFRB

Source: UFRB
{$inline_imageX}

Nota de repúdio sobre o atraso no pagamento das bolsas Pibid e Residência Pedagógica

A Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) solidariza-se com os(as) bolsistas do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação a Docência (Pibid) e Residência Pedagógica (RP) que estão sem receber as suas bolsas e repudia o atraso em resolver este problema nacionalmente.

Ambos os programas são financiados pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), fazem parte da Política Nacional de Formação de Professores e têm sido avaliados como estratégicos na formação inicial docente. Na UFRB são 672 estudantes atendidos pelos programas Pibid e RP em seus diversos cursos de licenciatura. No Brasil, há cerca de 60 mil bolsistas que atuam nestes programas.

O(a)s bolsistas dos programas só tiveram ciência da situação ao não receberem a bolsa do mês de setembro. Segundo nota publicada pela Capes em 07/10, o atraso no pagamento das bolsas tem por justificativa a necessidade de aprovação do PLN 17/2021 pela Comissão Mista de Orçamento do Congresso Nacional, que busca a recomposição orçamentária.

O atraso no pagamento das bolsas prejudica os alunos e o desenvolvimento de ações que estão em curso nas escolas-parceiras.

Os estudantes bolsistas destes programas, além da aprendizagem e experiência na formação inicial docente, precisam dos recursos das bolsas para se manter nos cursos de licenciaturas e sustentarem-se financeiramente, sobretudo na alimentação, neste momento tão difícil de pandemia e em que a situação econômica do nosso país aprofunda a vulnerabilidade socioeconômica das camadas populares, que compõe maior contingente de estudantes de nossa Universidade.

Assim, nos solidarizamos com estudantes bolsistas e clamamos pela regularização do pagamento das bolsas.

Universidade Federal do Recôncavo da Bahia – UFRB

Source: UFRB
{$inline_imageX}

Nota de repúdio sobre o atraso no pagamento das bolsas Pibid e Residência Pedagógica

A Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) solidariza-se com os(as) bolsistas do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação a Docência (Pibid) e Residência Pedagógica (RP) que estão sem receber as suas bolsas e repudia o atraso em resolver este problema nacionalmente.

Ambos os programas são financiados pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), fazem parte da Política Nacional de Formação de Professores e têm sido avaliados como estratégicos na formação inicial docente. Na UFRB são 672 estudantes atendidos pelos programas Pibid e RP em seus diversos cursos de licenciatura. No Brasil, há cerca de 60 mil bolsistas que atuam nestes programas.

O(a)s bolsistas dos programas só tiveram ciência da situação ao não receberem a bolsa do mês de setembro. Segundo nota publicada pela Capes em 07/10, o atraso no pagamento das bolsas tem por justificativa a necessidade de aprovação do PLN 17/2021 pela Comissão Mista de Orçamento do Congresso Nacional, que busca a recomposição orçamentária.

O atraso no pagamento das bolsas prejudica os alunos e o desenvolvimento de ações que estão em curso nas escolas-parceiras.

Os estudantes bolsistas destes programas, além da aprendizagem e experiência na formação inicial docente, precisam dos recursos das bolsas para se manter nos cursos de licenciaturas e sustentarem-se financeiramente, sobretudo na alimentação, neste momento tão difícil de pandemia e em que a situação econômica do nosso país aprofunda a vulnerabilidade socioeconômica das camadas populares, que compõe maior contingente de estudantes de nossa Universidade.

Assim, nos solidarizamos com estudantes bolsistas e clamamos pela regularização do pagamento das bolsas.

Universidade Federal do Recôncavo da Bahia – UFRB

Source: UFRB
{$inline_imageX}

Nota de repúdio sobre o atraso no pagamento das bolsas Pibid e Residência Pedagógica

A Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) solidariza-se com os(as) bolsistas do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação a Docência (Pibid) e Residência Pedagógica (RP) que estão sem receber as suas bolsas e repudia o atraso em resolver este problema nacionalmente.

Ambos os programas são financiados pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), fazem parte da Política Nacional de Formação de Professores e têm sido avaliados como estratégicos na formação inicial docente. Na UFRB são 672 estudantes atendidos pelos programas Pibid e RP em seus diversos cursos de licenciatura. No Brasil, há cerca de 60 mil bolsistas que atuam nestes programas.

O(a)s bolsistas dos programas só tiveram ciência da situação ao não receberem a bolsa do mês de setembro. Segundo nota publicada pela Capes em 07/10, o atraso no pagamento das bolsas tem por justificativa a necessidade de aprovação do PLN 17/2021 pela Comissão Mista de Orçamento do Congresso Nacional, que busca a recomposição orçamentária.

O atraso no pagamento das bolsas prejudica os alunos e o desenvolvimento de ações que estão em curso nas escolas-parceiras.

Os estudantes bolsistas destes programas, além da aprendizagem e experiência na formação inicial docente, precisam dos recursos das bolsas para se manter nos cursos de licenciaturas e sustentarem-se financeiramente, sobretudo na alimentação, neste momento tão difícil de pandemia e em que a situação econômica do nosso país aprofunda a vulnerabilidade socioeconômica das camadas populares, que compõe maior contingente de estudantes de nossa Universidade.

Assim, nos solidarizamos com estudantes bolsistas e clamamos pela regularização do pagamento das bolsas.

Universidade Federal do Recôncavo da Bahia – UFRB

Source: UFRB
{$inline_imageX}

Nota de repúdio sobre o atraso no pagamento das bolsas Pibid e Residência Pedagógica

A Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) solidariza-se com os(as) bolsistas do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação a Docência (Pibid) e Residência Pedagógica (RP) que estão sem receber as suas bolsas e repudia o atraso em resolver este problema nacionalmente.

Ambos os programas são financiados pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), fazem parte da Política Nacional de Formação de Professores e têm sido avaliados como estratégicos na formação inicial docente. Na UFRB são 672 estudantes atendidos pelos programas Pibid e RP em seus diversos cursos de licenciatura. No Brasil, há cerca de 60 mil bolsistas que atuam nestes programas.

O(a)s bolsistas dos programas só tiveram ciência da situação ao não receberem a bolsa do mês de setembro. Segundo nota publicada pela Capes em 07/10, o atraso no pagamento das bolsas tem por justificativa a necessidade de aprovação do PLN 17/2021 pela Comissão Mista de Orçamento do Congresso Nacional, que busca a recomposição orçamentária.

O atraso no pagamento das bolsas prejudica os alunos e o desenvolvimento de ações que estão em curso nas escolas-parceiras.

Os estudantes bolsistas destes programas, além da aprendizagem e experiência na formação inicial docente, precisam dos recursos das bolsas para se manter nos cursos de licenciaturas e sustentarem-se financeiramente, sobretudo na alimentação, neste momento tão difícil de pandemia e em que a situação econômica do nosso país aprofunda a vulnerabilidade socioeconômica das camadas populares, que compõe maior contingente de estudantes de nossa Universidade.

Assim, nos solidarizamos com estudantes bolsistas e clamamos pela regularização do pagamento das bolsas.

Universidade Federal do Recôncavo da Bahia – UFRB

Source: UFRB
{$inline_imageX}

UFRB seleciona estagiários com bolsa para atuarem na CIMAM e na ASCOM

A Pró-Reitoria de Gestão de Pessoal (PROGEP) da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB), divulga a abertura de inscrições para a seleção simplificada de estagiários do ensino superior que vão atuar na Coordenadoria de Infraestrutura e Meio Ambiente (CIMAM) e na Assessoria de Comunicação (ASCOM), ambas localizadas no Campus Cruz das Almas.

O valor da bolsa total é de R$ 1.345,69, incluso auxílio transporte. O estágio não gerará vínculo empregatício entre o estagiário e a UFRB. O estágio desenvolvido no âmbito da UFRB tem por objetivo proporcionar aos alunos regularmente matriculados nas instituições de ensino conveniadas a oportunidade de realização de estágio não-obrigatório, observada a disponibilidade orçamentária para a concessão de bolsas, visando ao aprendizado e à complementação da formação acadêmica.

Serão selecionados para atuar no CIMAM, estudantes de Engenharia Civil (02 vagas) e Engenharia Elétrica (02 vagas) e cadastro de reserva, que tenham disponibilidade para carga horária de trinta horas semanais e habilidades especificadas no Edital 03/2021.

As inscrições para as vagas do CIMAM serão realizadas no período de 20 de outubro a 02 de novembro, na página ufrb.edu.br/concursos, anexando a documentação exigida.

A seleção será realizada com base nas informações prestadas pelo candidato no formulário de inscrição, na análise do histórico escolar e na avaliação realizada através de entrevista por vídeoconferência.

Assessoria de Comunicação

Para atuar na Assessoria de Comunicação (ASCOM) serão selecionados estudantes de Cinema e Audiovisual (01 vaga); Comunicação Social – Jornalismo (02 vagas) e graduação em qualquer área (01 vaga) e cadastro de reserva, que tenham disponibilidade para carga horária de trinta horas semanais e habilidades especificadas no Edital 02/2021.

As inscrições para as vagas da ASCOM serão realizadas pela internet, no período de 20 a 27 de outubro, na página ufrb.edu.br/concursos, anexando a documentação necessária.

A seleção será realizada em duas etapas: histórico acadêmico e prova prática; e entrevista.

Mais em ufrb.edu.br/concursos.

Contato selecoes@progep.ufrb.edu.br.

Source: UFRB
{$inline_imageX}