Tratamento de doenças vasculares e biodegradação de poluentes no Univerciência

O Univerciência deste sábado (6) vai mostrar como a matemática e a computação, aplicadas à saúde, podem ajudar no tratamento de doenças vasculares, e a relação entre a pandemia e a tontura e o zumbido. Nesta edição, o programa apresenta um grupo de pesquisa que estuda a história e a memória da esquerda e das diversas lutas sociais, e traz uma pesquisa sobre a biodegradação de poluentes.

Desenvolvida por cientistas da Universidade Estadual do Piauí (Uespi), uma pesquisa utiliza matemática e computação para ajudar no tratamento de doenças vasculares. Essa inovação na medicina possibilita procedimentos não invasivos, trazendo menos riscos aos pacientes. O programa vai mostrar como trazer uma imagem de ressonância para um ambiente matemático/computacional para simulação de interferência e, a partir daí, buscar a melhor forma de tratar alguma anormalidade vascular.

Na Universidade Federal de Sergipe (UFS) pesquisadores analisam a possibilidade de distúrbios de ordem emocional e psicológica estarem relacionados a casos de sintomas auditivos vestibulares, como a tontura e o zumbido no ouvido. O objetivo é pesquisar o comportamento da população durante o isolamento social, relacionando as questões emocionais, a saúde geral e a saúde auditiva. A pesquisa observou que uma das vertentes para o zumbido e a tontura podem ser desencadeados por problemas emocionais, associados a problemas de coluna. Segundo a pesquisadora, existem escritos na literatura de que o SARS-CoV2 se instala no sistema nervoso central, podendo agir negativamente nos canais semicirculares, alterando toda a condição da orelha interna.

O Univerciência vai mostrar como funciona o Laboratório de História e Memória da Esquerda e das Lutas Sociais (Labelu), da Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs), que estuda as organizações que combateram a ditadura militar no período de 1964 a 1985. Desde 2005 os pesquisadores buscam entender os movimentos sociais, a história da esquerda, trabalhando com documentos, físicos ou digitalizados, e com bibliografias que constituem o material de pesquisa destes historiadores.

Ainda nesta edição, o Univerciência vai mostrar o trabalho dos cientistas da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) na descoberta de novos genes dos microrganismos capazes de proporcionar mecanismos com aplicação biotecnológica, isto é, o desenvolvimento de tecnologias a partir de conhecimentos da biologia, para ajudar a descobrir descontaminantes menos nocivos à natureza. De acordo com a pesquisa, a biodegradação com a eliminação de poluentes a partir do uso de bactérias poderia ser a solução para remediar o aparecimento de petróleo no litoral brasileiro em 2019 quando toneladas do produto foram encontradas nas praias de diversos estados.

Criado em 2020 pela TV UESB (Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia), o Univerciência transformou-se, a partir da parceria com a TVE Bahia e 40 instituições públicas de ensino superior de todo o Nordeste, em um conteúdo colaborativo com alcance e repercussão nacional, através da veiculação por TVs públicas, educativas, culturais e universitárias, e nos canais das emissoras, universidades e institutos na internet.

Source: UFRB
{$inline_imageX}

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *