UFRB e parceiros realizam testes de Covid-19 em comunidades quilombolas

A Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) em parceria com o Instituto Gonçalo Moniz FioCruz Bahia e a Secretaria de Saúde de Cachoeira realizaram a testagem de 213 pessoas para detecção do coronavírus o SARS-CoV-2, denominada Covid-19, nas comunidades quilombolas de Santiago do Iguape e São Francisco do Paraguaçu, localizadas em Cacheira.

As pessoas testadas tinham entre 18 e 50 anos ou de qualquer idade desde consideradas sintomáticas – em geral, os casos apresentam-se como uma síndrome gripal com febre, tosse, mialgia, disfunções olfativas e gustativas e a maioria dos indivíduos não apresenta manifestações graves ou críticas.

A Covid-19 tem se mostrado uma séria ameaça à saúde das populações devido ao seu padrão de rápida disseminação e à gravidade dos quadros clínicos que uma parcela significativa dos pacientes infectados desenvolve.

O objetivo dos testes nestas comunidades é evitar a entrada do vírus numa população nunca testada, e com casos já reportados, de acordo com o professor doutor Hermes Pedreira da Silva Filho, do Centro de Ciências da Saúde (CCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) que integra a “Plataforma de diagnóstico de Covid-19 – enfrentando a pandemia na Bahia”, da FioCruz, onde faz pós-doutorado pelo Curso de Biotecnologia FioCruz/CPqGM na área de Microbiologia e Biologia Molecular.

teste1

Quando utilizados em grupos bem caracterizados, como os quilombolas, “os testes também fornecem informações importantes para entender a transmissão do vírus e como pode impactar nesta população já tão carente de assistência em saúde”, explica o professor Hermes.

Os tipos de testes realizados nas pessoas foram a  transcrição reversa em reação quantitativa de polimerase em cadeia (RT-qPCR) para detecção do SARS COV 2; teste do Swab Nasofaríngeo, e coleta de sangue para sorologia da Covid-19.

A utilização isolada e/ou combinada dos resultados dos testes RT-QPCR e dos testes imunológicos possuem muito valor no âmbito da saúde pública.

Os testes foram coletados por uma equipe composta por professores e técnicos do Centro de Ciências da Saúde (CCS) da UFRB; pesquisador doutor Ricardo Khouri, da Fiocruz Bahia, e integrantes da Secretaria Municipal de Saúde de Cachoeira, e ocorrerá durante três semanas.

As coletas serão analisados no primeiro momento pela Plataforma de Diagnóstico Molecular do IGM/FIOCRUZ usando a plataforma Gal do Laboratório Central de Saúde Pública (LACEN).

Nas próximas ações já terão as amostras realizadas no Laboratório de Diagnóstico Molecular da Covid-19, instalado pela Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB), no campus Santo Antônio de Jesus. O coordenador do laboratório, professor doutor Fernando Vicentini, também participa das ações, que tem apoio da Pró-reitoria de Extensão (PROEXT) e do Comitê de Acompanhamento e Enfrentamento à Covid-19 da UFRB.

teste4

Resultados

O resultado positivo do teste RT-qPCR ajuda a confirmar a presença do SARS-CoV-2 no paciente, orientando o rastreamento dos seus contactantes, para serem também testados e, se infectados, isolados contribuindo para o controle da transmissão viral.

Desta forma, o diagnóstico diferencial de quadros clínicos similares, causados por outros vírus como o Influenza fornece informações mais precisas sobre a efetiva disseminação do SARS-COV-2  na população, o que permitirá medidas de controle mais embasadas.

Estes testes podem indicar a presença de partículas virais persistentes em pacientes que se recuperaram da Covid-19; o que pode representar risco de transmissão, orientando, assim, a decisão sobre a alta dos pacientes para evitar transmissão na comunidade.

Os testes sorológicos possibilitam avaliar a exposição dos indivíduos ao vírus, o que permite identificar os indivíduos que se infectaram mesmo sem apresentar sintomas e determinar a prevalência da doença em grupos específicos e populações no curso da epidemia.

As próximas comunidade quilombolas que serão atendidas pela parceria são as de Tabuleiro da Vitória e Opalma. Os profissionais de saúde de Cachoeira receberam treinamento da UFRB e da FioCruz para fazer os testes.

A terceira etapa é testar a população dos terreiros de religiões de matrizes africanas.

Ações integradas

Hermes disse que de forma integrada, a UFRB e a FioCruz, buscaram as secretarias de Saúde dos municípios de Cachoeira, Maragojipe e Santo Amaro, entre outras, áreas da Bacia e Vale do Iguape, onde existem as comunidades quilombolas, para parceria na realização de testes contra a Covid-19, desde o ano passado. Com a posse de novos gestores, este ano, foi possível a parceria com Cachoeira.

{gallery}noticias2021/testecachoeira{/gallery}

Source: UFRB
{$inline_imageX}